“Figurinos” – Aguarelas de Margarida Herdade Lucas

A exposição “Figurinos” – Aguarelas de Margarida Herdade Lucas, integrada nas comemorações do 25 de Abril do Município de Figueiró dos Vinhos, será inaugurada pelas 17h30, da próxima segunda-feira, dia 25 de Abril, na sala de exposições temporárias do piso 1 do Museu e Centro de Artes.
O Regresso à pintura de Margarida Herdade Lucas, agora em aguarela, teve como inspiração os desenhos das revistas de moda desde os anos 30 até à atualidade, designados “Figurinos” nas primeiras décadas do século XX.
Inspiradores no género figurativo, mas acusando já um pós-modernismo, estes desenhos foram sendo gradualmente substituídos pela fotografia, que se vai depois afirmando como arte, aproveitando as novas tecnologias de design e impressão.
Assim, ficam os desenhos dos figurinos para rever épocas, estilos e vivências. Para desfrute de todos.
Fica o convite para visitar esta exposição, que ficará patente no MCA até ao dia 3 de Julho.
 
 
 
 

Exposição "Domingos Loureiro"

O Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos apresenta amanhã, dia 2 de abril, a exposição "Domingos Loureiro" - Coleção Particular, que estará patente ao público no MCA até ao dia 17 deste mês (piso 1).
Domingos Loureiro nasceu em Valongo e é doutorado em Arte e Design pela Universidade do Porto. Acumula a sua atividade de artista visual com a de Professor Auxiliar na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto, no Departamento de Artes Plásticas – Pintura. Acumula diversos cargos e funções associados à Academia e é autor e editor de diversos documentos científicos e académicos. Artista premiado, com interesse em pintura e paisagem contemporânea, conta no seu currículo com exposições em diversos países tais como Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Bélgica, Itália, Irlanda, EUA, Brasil, Japão, Alemanha, Canadá e Holanda.
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Museu na Aldeia. Cercal vai ao Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos. Arte em comunidade"

O Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos (MCA) e a Sociedade Artística Musical dos Pousos (SAMP) apresentam a exposição "Museu na Aldeia. Cercal vai ao Museu e Centro de Artes de Figueiró dos Vinhos. Arte em comunidade", organizada no âmbito do Projeto Museu na Aldeia, da Rede Cultura 2027, que estará patente ao público entre os dias 23 de março e 11 de maio de 2022.
 
Museu na Aldeia é um projeto de intervenção artística e social que interliga museus e comunidades por meio das artes. Na sequência da fase O Museu vai à Aldeia, quando peças de museus foram apresentadas nas aldeias, as comunidades foram convidadas a aplicar as suas memórias e saberes no desenvolvimento de uma peça artística. Estas peças de valor comunitário e riqueza social e cultural tão ímpar, vão agora, nesta próxima fase, ocupar o seu lugar de destaque no Museu. Vamos celebrar mais uma importante etapa do projeto num espetáculo artístico interativo que nos guiará entre dança e música até à obra criada pela comunidade de Cercal. 
 
 
 
 

Exposição de Fotografia “A Ver Figueiró Dos Vinhos” 2021


Esta exposição exibe os trabalhos inseridos no Concurso de Fotografia "A Ver Figueiró dos Vinhos" 2021, promovido pelo Município de Figueiró dos Vinhos juntamente com os Municípios de Saint Maximin (França) e Perkata (Hungria), com a temática “Descobrir Figueiró dos Vinhos – Um Postal a Cores”.

 

 

 

O Cantar da Pedra

 
Expressões sonoras e visuais a partir de trabalho de campo
 
A exposição "O Cantar da Pedra. Expressões sonoras e visuais a partir de trabalho de campo", é um projeto inserido nos Territórios de Pedra, da autoria da @binauralnodar, que é resultado do trabalho de campo realizado por etnógrafos, artistas visuais e sonoros que participaram em residências artísticas nos concelhos de Ansião, Figueiró dos Vinhos e Pombal.
 
Criada a partir dos sons locais relacionados com a pedra, esta exposição contempla uma instalação sonora da autoria de Luís Costa e João Farelo, um conjunto de intervenções plásticas da autoria de Mónica Garcia e um conjunto de painéis visuais desenhados por Liliana Silva que refletem os conteúdos do arquivo sonoro.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Exposição Metamorfose

 

Um Casulo é uma potência de criação. É o local onde nos refugiamos para refletir, para pensar e para criar. À semelhança dos insetos que, dentro do Casulo, se transformam e evoluem. Ou à semelhança de Malhoa que construiu o seu Casulo como local de refúgio e de criação.

METAMORFOSE é este processo de criação, de desenvolvimento de ideias, transformação de materiais e mudança de perspetivas e paradigmas. Foi este o desafio que o projeto CASULOS lançou a todos os criadores envolvidos: o de, numa primeira fase, encontrarem um Casulo, em residência artística, para criar e, numa segunda fase, depois da Metamorfose, devolverem a sua obra à comunidade que os acolheu. Nesta exposição dinâmica é este o processo que vai observar, por esse motivo METAMORFOSE tem dois momentos. A partir dos acervos do Museu José Malhoa, são apresentadas diferentes fases de criação do autor, compreendendo-as não apenas como esboços, mas como registos de diferentes etapas da sua criação. A seleção exposta propõe um olhar sobre as metamorfoses pelas quais o artista passou com os seus processos criativos. Entre esboços, pinturas inacabadas e desenhos, cada uma destas obras revela transformações que José Malhoa viveu com a sua obra. Num segundo momento, a exposição ganha uma nova vida com a integração de obras resultantes das residências artísticas do CASULOS. Aqui vemos as metamorfoses vividas pelo Coletivo DEMO, pelo Teatro da Pessoa, pela Associação Cultural INTRUSO e pelos alunos da Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha, ao longo deste processo. 

Esta exposição integra o programa CASULOS, desenvolvido pela Direção Regional de Cultura do Centro, financiado pelo Instituto Português do Desporto e Juventude e que conta com o apoio do Município de Figueiró dos Vinhos. 

 

A realização do evento obedece a todas as normas e recomendações emanadas pelo Governo Português e pela Direção-Geral de Saúde, no sentido de salvaguardar o bem-estar e saúde de todos. Neste sentido, para assistir ao evento, é necessária a apresentação do Certificado Digital de Vacinação COVID-19.

 

 

 

 

"Imagens Subaquáticas de Portugal"

A exposição de fotografia de Nuno Gonçalves, estará patente ao público na sala de exposições do piso 1 do MCA a partir do próximo sábado, dia 11 de setembro.